"As impossibilidades humanas são as oportunidades de DEUS". (Alejandro bullón)


A corda, o mosquetão e a argola.

A corda, o mosquetão e a argola.

 

Um esporte que sempre achei muito bonito e ao mesmo tempo intrigante foi o alpinismo.

 

 

Aos que não conhecem, alpinismo ou montanhismo é a prática de subir montanhas através de caminhada ou escalada.

 

 

É considerado, atualmente, um esporte de risco, aventura e se encontra ligado ao turismo ecológico.

 

 

Pois bem, sempre me perguntei o que faz tantas pessoas deixarem suas casas, sua área de segurança,  pra se aventurarem escalando as montanhas do mundo afora.

 

 

As montanhas, sempre fizeram parte da história humana, por se tratarem de obstáculos a serem transpostos por nossos antepassados em suas viagens exploratórias e migratórias.

 

 

Dessa forma, talvez o que mova esses alpinistas seja: a superação de obstáculos tão temidos pelo ser humano; a superação de seus próprios limites.

 

 

O mais curioso é pensar que os alpinistas se mantém firmes naqueles paredões por 1 corda, 1 mosquetão e 1 argola.

 

 

O primeiro alpinista vai a frente e a cada ponto estratégico coloca 1 mosquetão mais uma argola para fazer passar a sua própria corda, operação a que se chama mosquetágem.

 

 

O primeiro prende-se e assegura a ascensão do segundo que deve recuperar o material posto pelo primeiro. Chegado ao ponto de encontro, mudam de posição, unicamente se o segundo tem capacidade para ser "o primeiro".

 

 

Não queremos aqui dar aula de alpinismo, mas o que quero lhes contar é que ontem, ao ler um depoimento de Laurann Patterson num livro, me encantei com suas palavras.

 

 

Num momento de grande angústia em sua vida, em que ela lutava contra uma grave doença, ela havia comprado um mosquetão, desses usados para Alpinismo.

 

 

O Mosquetão significava para ela a primeira opção quando o assunto era manter as cordas presas com segurança.

 

 

Sua vida estava cheia de desafios, como grandes montanhas a serem percorridas, e o mosquetão a fazia lembrar da única corda segura e firme: Jesus.

 

 

Ao ler suas palavras refleti por alguns minutos. Pensei na coragem dos Alpinistas ao enfrentarem seus desafios confiando em seus equipamentos, que apesar de terem sido criados por seres humanos falíveis, lhes fornece tanta segurança.

 

 

Pensei em nós seres humanos que assim comos eles, muitas vezes confiamos tanto em nossas próprias forças, também falíveis.

 

 

E percebi o quanto as palavras de Laurann foram tão sábias.

 

 

Muitas vezes parecemos esquecer dos riscos que envolvem a nossa escalada ou caminhada, confiamos puramentes em nossos equipamentos, nossas próprias forças, e nos esquecemos das situações adversas que poderemos encontrar, esquecemos de nossa própria fragilidade como seres humanos.

 

 

Certa vez Martin Luther King disse a seguinte frase:  “Eu segurei muitas coisas em minhas mãos, e eu perdi tudo; mas tudo o que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo”.

 

 

Talvez as coisas que ele se referiu ter em suas mãos fosse a aparente segurança que todo ser humano tem na saúde, em bens materiais, no emprego, nas riquezas, na posição social. Tudo isso nos faz nos sentirmos seguros de que nada de ruim poderá nos afetar.  

 

 

Não sabemos exatamente a que ele se referia. Só sabemos que ele percebeu que tudo em que ele confiou havia sido passageiro, menos as coisas que ele tinha colocado nas mãos de Deus

 

 

Isso nos faz refletir sobre a nossa vida. Pensar no que nos dá segurança.

 

 

Se estamos confiando tanto em nós mesmos, a ponto de nos esquecermos de Deus.

 

 

Se estamos tão focados  na nossa própria inteligência e nossos próprios meios pra enfrentarmos os obstáculos da vida, a ponto de esquecermos da nossa fragilidade e insegurança .

 

 

Todos nós seres humanos somos frágeis e precisamos da presença do nosso criador em nossas vidas nos dando a verdadeira segurança.

 

 

Desejo a todos que na montanha da vida, a nossa corda, mosquetão e argola sejam Jesus.

 

 

Bianka Lorena

 

 


Comentários

Data: 02-07-2011

De: gizelda maria capilé

Assunto: A Corda, o Mosquetão e a Argola

Fico feliz quando vejo o seu amadurecimento frente aos embates da vida.
Eu penso que a nossa missão neste planeta é justamente aprendermos a subir
a nossa montanha, sabendo que não estamos sózinhos e que a nossa força
maior vem do Sagrado.
Que Deus a abençoe.
Tia Gizelda

—————