"As impossibilidades humanas são as oportunidades de DEUS". (Alejandro bullón)


A Grama do Vizinho é sempre mais verde?

A Grama do Vizinho é sempre mais verde?

“A Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.”   (Exodo 20:17)

“O cobiçoso cobiça o dia todo, mas o justo dá e nada retém”.   Provérbios 21:26

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.” (Salmos 139:23 e 24)

 

 

Desde pequenos somos influenciados pelas expectativas que as pessoas criam a nosso respeito. Na nossa casa, na escola, na igreja, desde pequenos nos encaixamos nos padrões pré-fixados de comportamento. Sofremos comparações com as outros porque a sociedade acredita que fazer comparações, favorece a busca do padrão de melhoria e sucesso.

 

E assim seguimos na vida acreditando que temos que nos guiar pelo que os outros estão fazendo,  com seus ganhos, suas aquisições e com o padrão de sucesso pré-estabelecido. E dentro de nós vamos inconscientemente acreditando que “a grama do vizinho é sempre mais verde”, como dizem os livros de auto-ajuda.

 

O fato é que a maioria dos seres humanos não leva em consideração suas próprias características, aptidões e não percebe que ninguém é igual à ninguém. Passam a vida lutando por metas e projetos de cunho profissional, material ou estético, que nem sempre são coerentes com aquilo que eles acreditam ou mesmo desejam. São empurrados pra isso por apelos da mídia, da sociedade,  da família e dos amigos. O que acaba acarretando ansiedades e frustrações.

 

Uma dessas frustrações geralmente acontece quando as pessoas escolhem suas profissões pra corresponderem à expectativa dos pais ou de amigos.  Passam a vida frustrados por não  fazerem o que gostam, nem o que lhes dá prazer e onde poderiam ter mais sucesso, se ouvissem os seus corações.   

 

Isso tudo tem gerado uma busca pelo sucesso profissional a todo vapor e uma competição desenfreada no mercado de trabalho. Hoje em dia por conta da grande concorrência, desde cedo as crianças são colocadas em escolas em tempo integral, onde perdem o convívio com os pais e com a família, tão importantes pra formação do aspecto emocional e do caráter da criança.

 

O auto padrão de beleza exigido, tem feito com que as pessoas fiquem escravizadas, fazendo cirurgias plásticas como se trocassem de roupa, vivido nas academias, e o que acho mais perigoso ainda, escolhido seus relacionamentos com base em fatores apenas estéticos, quando que os principais valores do ser humano não encontram respaldo na beleza exterior.

 

Não queremos dizer que a beleza e o sucesso não sejam importantes, mas o que torna todo o cenário preocupante, é que em função dessa inversão de valores, muitos têm adoecido por não conseguirem se adequar a esse padrão imposto pela sociedade. Pessoas têm perdido suas vidas por causa de transtornos alimentares, como no caso da anorexia, bulimia e depressão.

 

Uma vez num sermão um Pastor fez uma colocação bastante interessante. Ele disse que o carro dele tinha tudo o que ele precisava pra ser feliz.  Era bonito, novo e tinha um ótimo motor.  Que o carro dele só perdia o brilho quando no trânsito,  ele parava ao lado de um carro mais bonito, mais possante e moderno. Daí ele terminou dizendo que infelizmente quando comparamos as nossas coisas, as nossas vidas com as dos outros, entramos num círculo vicioso onde seremos eternamente insatisfeitos e perderemos a referência do que realmente nos faz felizes.

 

Isso é uma realidade. Hoje, a onda do consumismo, da beleza, da luta pelo sucesso têm nos tornado cativos. Já não sabemos mais o que queremos, o que nos faz felizes. Se a maioria de nós, por um momento, voltar sua mente ao passado concluíra que éramos bem mais felizes quando a vida era mais simples, quando não tínhamos tantas atividades e metas, quando brincávamos na rua de queimada, de vôlei, de patins, quando a felicidade nao significava provar algo pras pessoas.

 

Nesse aspecto, me recordo de uma palestra que assisti de um pregador americano. Fiquei muito impressionada com suas palavras. Ele se referia justamente ao vazio que temos  por querermos sempre fazer mais, sermos mais, pra nos sentirmos importantes. Por um momento ele nos fez pensar, imaginar o momento do nosso nascimento. Ele disse: “pense no dia que você nasceu. Você não trouxe nada consigo. Veio nu e de mãos vazias. E mesmo assim foi o dia mais importante pros seus pais, eles te amaram, sem receber nada em troca. O amaram simplesmente pelo fato de você ter passado a existir em suas vidas. Então porque você acha que tem que dar algo ou ser alguém importante pra ser aceito ou valorizado? Ele terminou dizendo: “Pense no amor incondicional, intransferível que seus pais tem por você. Agora imagine o amor de Deus que é muito maior, que te deu a vida que é a coisa mais importante. Imagine o quanto você é especial, insubstituível.”

 

Queridos, a minha mensagem de hoje é essa. Que nós somos muito amados, simplesmente por existirmos. Não precisamos provar nada pra ninguém. Que possamos exercitar a arte de sermos felizes com aquilo que temos e somos.

 

Uma das grandes lições que o Meu Vô Jerônimo me deixou, foi a de sempre valorizarmos as coisas que tínhamos, não importasse o valor. Ele tinha um fusca vermelho já um pouco antigo. Na época não existia seguro pra carro, nem alarme, nada disso. Ele amarrava o carro na árvore com uma corrente pra não ser roubado e sempre dizia: “o meu carro é o melhor carro”.

 

Eu trouxe isso comigo e tenho buscado em Deus valorizar o que tenho e o que sou, por mais simples que possa parecer. Procuro oferecer a Deus a minha vida e minhas habilidades, pra que eu possa do jeito que sou e com o que tenho, colher bons frutos.

 

Jesus, nosso Salvador, foi o nosso maior exemplo de desprendimento. Nasceu numa família simples, trabalhava com seu pai numa marcenaria e era feliz. Não existe um só relato bíblico onde mostre Jesus insatisfeito com a sua vida, ou que tivesse ambições materiais. Ele se preocupava apenas com as pessoas, com a pregação do evangelho. Ele nao competia com as pessoas, nao brigava pra que fosse reconhecido como Senhor e Salvador. Jesus é o nosso maior exemplo de que a felicidade a gente busca num relacionamento diário com Deus, através de uma modificação da mente, do coração e do próprio caráter.

 

 

Acho que só seremos realmente felizes se valorizarmos aquilo que temos e o que somos, sem olharmos ao nosso redor e isso é um exercício diário.

 

 

Por isso sempre peço a Deus que como um ser frágil e humano que sou, Ele sonde os meus pensamentos e os meus sentimentos pra que eu seja feliz, sem me contaminar com as cobranças e padrões externos, e pra que eu, ao invés de achar em qualquer momento da vida que a grama do vizinho é mais verde, cuide com carinho da minha própria grama.

 

 

Hoje esse é o meu desejo e minha oração pra todos  vocês, meus amigos!

 

 

Bianka Lorena


Comentários

Data: 23-09-2012

De: Diana

Assunto: ....

Adorei o texto. Precisei muito de ler isso agora. Palavras sábias!

—————

Data: 23-05-2012

De: Arlete Reis

Assunto: a grama do vizinho

acabo de ler essa mensagem e gostei muito,eu sempre digo essa mesma frase.Bianka escreveu com uma espiracao divina. eu quero aplicar na minha vida diaria.
vc se foi e deixou muitas saudades e com certeza as lindas mensagens de refrexao vai fazer diferenca na minha vida e de outras pessoas tambem...adeus, nos vemos em breve com a volta de Jesus.Arlete Reis

—————

Data: 10-11-2011

De: Luciana Melo

Assunto: A grama do vizinho é sempre mais verde?

Amiga, que orgulho vê-la se expressar de forma tão clara, madura, motivadora, resgatando ensinamentos tão simples, contudo, tão verdadeiros! Essa sua contribuição, é um convite a reflexão. Sempre que der vou dar uma "espiadinha". Bjs

—————

Data: 30-10-2011

De: Nancy - 29-10-2011

Assunto: A grama do vizinho é sempre mais verde?

O HOJE é tudo o que temos!! Não sabemos do amanhã. Viver um dia de cada vez, como se fosse o único, valorizando o que temos e fazendo nosso melhor, buscando a Paz que somente Cristo dá, não há melhor "grama" que isso!!
Amei o artigo, amiga.
Obrigada por nos presentear com essa mensagem.
Bj. NAN.

—————

Data: 27-10-2011

De: Danny Reis

Assunto: A grama do vizinho é sempre mais verde?

Valorizar o que temos, mas principalmente o que somos...parar de reclamar do que não temos, ou não somos. Porque, afinal de contas, só seremos perfeitos no céu, quando a glória de Deus nos tornará incorruptíveis! Amém

—————